Instituto João e Maria Aleixo

A produção de conhecimento na perspectiva proposta pelo Território Inventivo exige um novo tipo de instituição que supere as formas tradicionais como se estruturam, por exemplo, as universidades brasileiras, em geral. De fato, elas se encontram dominadas pelo formalismo burocrático e administrativo; pela hierarquização do saber, ignorando outras formas que as
não afirmadas e difundidas pelos acadêmicos; pela busca obsessiva de obtenção de titulações específicas e da conquista de posições distintivas a partir de publicações nas revistas com mais peso acadêmico de estudos especializados para os próprios pares; e pela raridade de estudos e intervenções que tratem de questões que afetam o cotidiano, em particular o dos grupos sociais periféricos.

Os desafios assinalados também apontam a necessidade de ampliar a qualificação técnica, teórica e metodológica dos sujeitos sociais, em particular os oriundos dos territórios periféricos. Formar intelectuais engajados na compreensão da realidade social e capazes de atuarem como protagonistas em processos de intervenção na realidade são demandas colocadas para a construção de uma sociedade sustentada no reconhecimento das diferenças e busca de reduzir as desigualdades.

Nesse contexto é que o Projeto Território Inventivo é alicerce para a criação do Instituto João e Maria Aleixo de Souza, cujo objetivo primeiro é contribuir para a compreensão das formas, funções e processos que caracterizam os territórios periféricos no contemporâneo, levando em conta as práticas sociais dos seus sujeitos, e suas formas de inserção no mundo social. Em segundo lugar, o Instituto buscará sistematizar e difundir metodologias e tecnologias sociais que per – mitam ampliar as possibilidades temporais e espaciais dos sujeitos oriundos das periferias, especialmente, e o seu lugar político na realidade contemporânea. Por fim, o IJMA buscará construir uma rede internacional de pesquisadores associados, que se articulem para a criação de processos colaborativos que permitam ampliar os estudos e as proposições de políticas de desenvolvimento territoriais.